Hoje de manhã foi realizada a primeira audiência do caso DBSK contra a SM Entertainment, pedindo a revisão dos contratos dos membros YooChun, JaeJoong e JunSu, como vocês já ficaram sabendo e acompanharam aqui.

Primeiramente, pedimos que leiam as informações à seguir com cautela e bom senso, visto que isso é o que a mídia reportou até agora, podendo haver distorções nas informações conforme elas são passadas — e conforme a mídia gosta de fazer por si própria, além do sensacionalismo.

 

 

 

 

 

 

Segundo informam, os três membros envolvidos vão, de fato, sair da SM caso a agência não atenda ao pedido do processo — mas adiantam que mesmo fora da SM, há possibilidades do grupo permanecer junto e com o mesmo nome e, o mais importante, eles querem continuar juntos, mas em agências separadas – vale frisar que isso é apenas uma possibilidade. A SM alega que ao contrário do DBSK, sofreu prejuízos imensos com o processo, incluindo danos à sua imagem e prejuízo financeiro, tendo que pagar um valor equivalente aproximado em R$33.770.000 relacionados à futuras atividades canceladas e ainda alegam que o grupo, além de não ter sofrido danos maiores, deve estar feliz por não ter que participar das atividades coreanas e estrangeiras (menos Japão) que foram canceladas devido ao processo (SM TOWN Live, os demais shows da MIROTIC Tour e etc). “Em referência ao contrato exclusivo, a qualidade da indústria do entretenimento deve ser considerada. Mesmo com as mudanças recomendadas recentemente (pela Fair Trade Comission), excessões podem ser aplicadas à cantores. Os três membros dizem que nunca foram informados do quanto a SM realmente ganha exatamente, mas eles foram sim informados e ainda assinaram os documentos que informavam os valores”, declarou o advogado da SM se referindo ao longo tempo de contrato que o DBSK tem firmado em contrato, 13 anos.

O juiz em cargo do caso, Park Byungdae, diz que a melhor saída seria um acordo entre as duas partes: “A melhor maneira de resolver essa disputa seria com um acordo mútuo, visto que estão em jogo também o maior fã-clube do mundo e o relacionamento entre os membros do grupo. Se as duas partes quiserem marcar uma data para que isso aconteça, podemos arranjar isso e não será revelado ao público”.

Para alívio de todos, o advogado dos três membros declarou: “Eles não querem se separar. Há casos onde o time continua junto, mas em diferentes agências”.

Quanto ao que os três membros realmente querem, se é só uma revisão de contrato ou o cancelamento dele, a resposta foi: “Depende do quão competente a SM será quanto à transição do DBSK, visando que eles estão querendo passar de idol group para uma coisa mais artisticamente matura. As oportunidades são infinitas”.
Novamente, dando esperanças de que tudo vai terminar bem, a SM diz que: “Apesar de estarmos tendo muito prejuízo, esperamos que isso se resolva logo, de forma que o DBSK possa recomeçar suas atividades.

Fonte: BigBangShinKi